Auxilio da acupuntura no tratamento comportamental de cães


     Os animais, mais especificamente o cão e o gato, têm sido atingidos diretamente pelo atual modo de vida que levam os seus proprietários: muito trabalho, pouco tempo para se dedicar a filhos e bichos, "stress" das contas, dos compromissos e pouco tempo para o lazer. Assim, os companheiros de estimação entram nesta roda viva que os atinge direta ou indiretamente. É também comum o proprietário sair de manhã e só retornar à noite. Além disso, parece que os animais absorvem nossa alegria, tristeza, preocupação, decepção e depressão.
     O fato é que, cada vez mais, encontramos proprietários que se queixam do comportamento dos seus animais de estimação: do medo exagerado, da agressividade, da capacidade de destruição (e autodestruição). Existe uma desordem conhecida como Desordem Compulsiva Canina (DCC). Um cão com este quadro exibe ansiedade não só em face a um eminente perigo, mas repete comportamento alterado, compulsivamente, que não tem nada a ver com perigo. É uma resposta excessiva e que muitas vezes causa dano ao próprio animal.
     Cães com DCC comumente exibem comportamento como: lamber suas patas incessantemente, caçar sua cauda ou rodar em círculos, latir incessantemente, roer unhas, mastigar o pé, ingerir objetos, beber muita água e outros comportamentos repetitivos. Esses comportamentos podem parecer ter causa imediata, embora possam ser para aliviar a ansiedade do cão.
     É importante lembrar a necessidade de um veterinário atencioso que examine o cão e elimine todas as possibilidades de doenças, e que também estude o ambiente em que o cão vive e o estilo de vida que leva. Por exemplo, cães trancados em canil ou dentro de casa durante muitas horas por dia podem se tornar frustrados, carentes de exercício e estimulação e têm alta possibilidade de apresentar DCC. Confinamento é provavelmente um dos maiores contribuintes para o DCC. Cães e gatos não são solitários. Animais expostos a brigas, conflitos dentro de casa, frequentemente, exibem comportamento repetitivo.
     É necessário conhecer a causa do mau comportamento para saber como abordar o problema. O reforço positivo a um bom comportamento pode resolver grande número de problemas. Punição raramente resolve comportamento associado com DCC. Geralmente, punir o animal gera mais estresse.
     Este estudo faz uma abordagem de como a acupuntura pode atuar nestes distúrbios e dos pontos que podem ser usados de acordo com o distúrbio apresentado. O trabalho está organizado em seis seções. Na primeira seção, é apresentada a abordagem teórica adotada e, em seguida, é exposta a relação entre comportamento e a Medicina Tradicional Chinesa. Nas seções seguintes, são descritos os Cinco Elementos e as Substâncias Vitais, os Pontos do canal da Bexiga e os principais Pontos de Acupuntura usados nas diversas alterações comportamentais. A última seção traz a conclusão deste trabalho e, em anexo, é apresentada uma lista com as figuras dos principais pontos de acupuntura.
 
Veja o trabalho completo, clique aqui!