Uso da estimulação elétrica neuromuscular em cães


SILVA, L.V., BARIONI, G. e SILVA, A.V.P. Uso da estimulação elétrica neuromuscular em cães. PUBVET, Londrina, V. 7, N. 17, Ed. 240, Art. 1584, Setembro, 2013.

Resumo

O músculo estriado esquelético tem função primária de manutenção e execução dos movimentos do corpo. Quando algum dos fatores que mantém a funcionalidade e estrutura normal do tecido muscular é comprometido, ocorre uma atrofia muscular drástica e imediata, o que resulta numa perda de volume muscular e, consequentemente, alta redução da capacidade deste músculo em gerar força.

Dentre as três principais causas que resultam em atrofia muscular, relacionadas à Medicina Veterinária, cita-se a atrofia por desnervação, por desuso e atrofia por imobilização.

Os programas de fortalecimento e ganho de massa muscular são procedimentos importantes quando há necessidade de restabelecer as funções normais de um músculo, quando este apresenta força diminuída.

A estimulação elétrica neuromuscular (EENM) está sendo utilizada em grande escala nos tratamentos que visam o aumento da força muscular, tendo como ação a estimulação elétrica dos neurónios motores, induzindo assim, uma contração muscular similar à contração voluntária fisiológica.

O objetivo do presente trabalho é analisar, através de uma revisão de literatura, os resultados de diferentes estudos e pesquisas sobre o fortalecimento, contração, e ganho de massa muscular; recrutamento de fibras e fadiga muscular, utilizando a uso da EENM em pacientes com atrofia muscular induzida.